Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.
O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Translate us (traduza-nos)

Pesquisar neste blog

Carregando...

Inscreva-se e siga nossa newsletter

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

As olimpíadas do cotidiano




Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. 
2 Timóteo 4, 7:8


segunda-feira, 18 de julho de 2016

Luz que ilumina nossos caminhos




                      Você já deve saber que está em vigor, desde o dia 8 passado próximo, uma lei que determina aos veículos automotores que trafeguem com faróis baixos acesos, durante o período diurno, em rodovias e túneis. Trata-se de uma lei justa e pertinente, haja vista que as luzes, mesmo baixas, facilitam a visualização dos veículos, mesmo durante o dia. Esta regra já está em vigor em muitos países da Europa e em alguns países do Mercosul, e, por conta disso, muitos condutores brasileiros já adotaram essa prática.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Um passeio pela vida



         Depois de algum tempo aparentemente ausente e distante de si mesmo, mas não necessariamente ausente e distante da vida, você retorna às suas atividades habituais trazendo novas ideias, porque, na verdade, você estava apenas dando um passeio, (re)vendo a vida por outros ângulos e fazendo novas descobertas.