O Profeta diz a todos: "eu vos trago a verdade", enquanto o poeta, mais humildemente, se limita a dizer a cada um: "eu te trago a minha verdade."

Mario Quintana

Editorial

Embora o Brasil não esteja em uma boa fase de sua história e não esteja sendo bem administrado, retroceder ao passado, principalmente àquele passado mais remoto e sem resultados satisfatórios para a coletividade, não é a solução.

Uma geração acreditou que, quando a oposição chegasse ao poder, finalmente, sentir-se-ia representada. Votou em um candidato à presidente que caiu e se levantou, algumas vezes, mas agora já não sabe mais em quem confiar, porque não há mais representações legítimas, para os trabalhadores e os estudantes. Existem apenas partidos para representar seus próprios interesses ou defender os privilégios de seus aliados diretos.

Dar vazão às mentes e às vozes que querem questionar e repensar o Brasil de uma maneira distinta, objetiva e imparcial. É para isto que estamos aqui.

Display

Pesquisar neste blog

Inscreva-se e siga nossa newsletter

Translate us (traduza-nos)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Uma nação para todos ou pára todos???



                       Há cerca de vinte anos, quando o presente código de trânsito entrou em vigor, ele já previa a fiscalização das atitudes dos pedestres e dos ciclistas no trânsito, bem como a possível aplicação de multas a eles, medidas que ainda não foram postas em prática, por falta de regulamentação, mas isso deve mudar até meados de 2018. A cobrança da observação das leis de trânsito por parte de pedestres e ciclistas tem um lado bom. Faz-se necessário chamar a atenção desses personagens do trânsito para que também assumam suas responsabilidades, porque, até agora, só tinham direitos e eram vistos como os pobres coitados do trânsito, sendo quase sempre tratados como prioridades, e precisam entender que também têm deveres e que as leis de trânsito foram feitas para eles também. 

domingo, 12 de novembro de 2017

Trabalho escravo???!!!



                       Recentemente, uma ministra de Estado e desembargadora aposentada requereu o recebimento dos vencimentos acumulados e referentes aos dois cargos, o que lhe renderia algo em torno de R$ 60.000,00, pelo menos, alegando que manter uma aparência e um padrão de vida condizentes com o de uma ministra requer uma renda elevada e que trabalhar para receber menos do que ela considera justo e condizente com seu trabalho seria um trabalho escravo. Quiçá movida pelo bom senso, vendo a polêmica armada, a referida ministra logo desistiu de sua solicitação.

sábado, 4 de novembro de 2017

Invasões Bárbaras


                        No dia 15 passado próximo, a Igreja Católica celebrou a canonização de 35 pessoas, dentre as quais havia 30 brasileiros que foram martirizados por professarem a fé católica, nas terras do Rio Grande do Norte, durante a ocupação holandesa de partes do Nordeste brasileiro, no século XVII. Dentre os brasileiros agraciados por terem sacrificado suas vidas em nome da fé e de convicções muito superiores às suas pessoais, destacam-se os nomes dos padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro e dos fiéis Domingos de Carvalho e Mateus Moreira.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A Cura





                     Há algumas semanas, reacendeu-se a polêmica sobre a existência de uma suposta cura gay, depois que um grupo de psicólogos conseguiu autorização judicial em primeira instância para aplicar o que eles chamam de "terapia de reorientação sexual", que se encontra proibida por resolução do Conselho Federal de Psicologia. Cerca de quatro anos atrás, uma bancada de parlamentares evangélicos apresentou no Congresso Nacional um projeto de lei que visava a liberação dessa terapia, que foi igualmente vista como polêmica e controversa à época.